Redução de consumo de energia

A energia gasta por um modo de transporte é particularmente importante nos países em desenvolvimento, seja ele fóssil ou de origm hidroelétrica. O valor calculado da energia gasta por distância precisa ser ponderado pelo número de pessoas usando o modo, para chegar a um número comparativo entre os modos. A comparação geral das eficiências energéticas por modo revela que enquanto o automóvel usa 2,3 a 2,6 MJ/pass-km, os trens usam 0,6 a 1,5 MJ/pass-km e os ônibus 0,6 a 0,8 MJ/pass-km (Goldemberg, 1998).

A primeira figura ao lado mostra, para vários veículos operando no Brasil, que os ônibus a diesel e o metrô são os modos que consomem menos energia. A relação entre ônibus e carros é de 1:4,7 (ônibus comum). Deve-se ressaltar que se trata de veículos completamente carregados de passageiros, o que gera o menor consumo de energia possível. Caso o carregamento dos veículos mude, a relação mudará.

A segunda figura ao lado mostra as diferenças de consumo de energia por passageiro transportado. Pode-se observar que um ônibus com três a quatro passageiros já chega a um consumo de energia por passageiro (113gep) semelhante ao de um automóvel com um passageiro (110gep). Um ônibus com seis passageiros j[a chega a um consumo de energia por passageiro (57gep) semelhante ao de um automóvel com dois passageiros (55gep). No nosso caso específico, o ônibus mais comum no transporte por fretamento atende de 40 a 50 passageiros e, portanto, tem enorme vantagem em relação ao consumo de energia por cada passageiro.